Bruges

Bruges ou Brugge é uma cidade pequenininha no interior da Bélgica. É famosa por ser muito linda e romântica - a veneza do norte da Europa. Por essas razões, já é uma das mais procuradas pelos viajantes.

Quando planejamos nossa viagem, ficamos em dúvida se nos hospedávamos em Bruxelas ou em Bruges, já que o turismo nesta cidadezinha é mais forte que na capital. Optamos por ficar em Bruxelas mesmo e só passar o dia em Bruges - ainda bem! A cidade parece que saiu de um filme de tão bonita, mas é muito pequena e meio monótona.

O trem de Bruxelas para Bruges custa €27 e sai da estação que fica ao lado do hotel Ibis (aonde ficamos). Nossa escolha valeu muito a pena!

Chegando em Bruges, fomos à pé da estação central para o centro da cidade. No início ficamos um pouco perdidas, mas o lugar é tão pequeno que conseguimos nos virar.

A primeira parada foi a Igreja Sint-Salvatorskerkohf. A entrada é gratuita e o passeio é bem rápido. Sua arquitetura é bem parecida com a da Notre-Dame e com a Catedral de Bruxelas. Seu estilo é gótico, tem os vitrais e outros detalhes semelhantes.


De lá fomos andando para a Grote Markt, a praça central. A bonita torre Belfort Van Brugge/Belfried é um dos principais monumentos da praça (o filme "Na Mira do Chefe"não é essas coisas, mas tem imagens lindas deste lugar!).

Para subir na torre, são €8. É uma escada de caracol infinita, com degraus minúsculos de madeira. Não tem corrimão e quando vem alguém no sentido contrário é o maior frio na barriga para desviar. Nós penamos para chegar até o final. Sentamos em todas as oportunidades que tivemos. Foi bem cansativo. Uma pessoa acima do peso ou mais velha provavelmente não consegue realizar o trajeto.

Het Provinciaal Hof



Belfry
Para compensar todo o aperto para subir, a vista lá de cima é linda. Uma pena que o dia estava chuvoso e a cidade com muita bruma.


De lá nos perdemos nas ruelas da cidade. A única "decepção" é que tem muito menos canais do que imaginávamos.

Na hora da fome resolvemos ir no Museu da Batata Frita (Frietmuseum) - PÉSSIMA IDEIA. Além de contar toda a história da tradição, o site promete batatinhas de brinde no final de uma experiência incrível. É a maior enganação. Primeiro que o passeio é totalmente dispensável, sem graça, e segundo que não ganhamos a batata. Morremos de fome nesse lugar e saímos secas atrás dos tradicionais cones de batatas belgas com molho. Para quem ainda assim quiser visitar, fica aberto de 10h às 17h todos os dias. O preço varia entre €4 e €6.


De sobremesa, fomos ao museu do chocolate - Choco-Story Museum. Como amamos doce, o museu não decepcionou (também não esperávamos lá tanta coisa). Depois de uma aula sobre a origem da delícia desde o cacau e a história do chocolate no país, chegou a melhor parte - o final. Esculturas gigantes de chocolate ocupam duas salas e uma ainda uma demostração de como se faz o chocolate belga. Na saída experimentamos a maravilha que assistimos fazerem. Ele fica aberto todos os dias, de 10h às 17h. A entrada é franca para menores de 6 anos. Para as outras pessoas, o preço varia de €4 à €7.


No nosso roteiro faltavam só mais duas coisas para fazer, então nos permitimos simplesmente apreciar o lugar enquanto procurávamos os pontos turísticos.





Ficamos loucas atrás do Quai of the Rosary - colocamos no roteiro e não conseguimos lembrar o que era. Todos apontavam para uma rua e ninguém falava o que tinha de tão importante ali. No fim, descobrimos que Quai of the Rosary é o nome que deram para uma esquina em que o canal fica bem mais largo e tem um charme diferente. É o melhor lugar para tirar foto na cidade! E realmente tiramos vááárias.




Bem ao lado fica o Gruuthuse Museum. Antigamente, o lugar era a mansão de uma família rica, produtora de cerveja. Hoje em dia, abriga uma grande coleção de obras de arte, que vai desde móveis antigos até louças e pinturas. O que mais gostamos é que Lodewijk van Gruuthuse (antigo proprietário da casa) tinha uma espécie de camarote para assistir as missas na Our Lady's Church, que é "conectada" à casa. O espaço é super legal. O museu fica aberto de 9h30 às 17h de terça à domingo. Para entrar, crianças de até 11 anos não pagam; pessoas de até 25 anos ou maiores de 65, pagam €6 e os demais, €8.


Para fechar o passeio com chave de ouro, paramos na casa de chá mais charmosa e tomamos o melhor chocolate quente do mundo! O lugar chama De Proeverie. Além do sabor excepcional, o atendimento foi ótimo! Todos super atenciosos. Sensacional! Não deixem de procurar esse lugar antes de ir embora da cidade.




Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Copyright © 2012 Passaporte Pronto?. Copyright © 2012 Logo desenvolvida por Vitor Quinet.